Acervo de sons do Distrito Federal será lançado em setembro

Divulgação

Qual o som que lembra Brasília? Cigarras, o repentista na feira tocando a viola, meninos cantando sua realidade por meio de rimas? Talvez tudo isso, não é? Afinal, a capital do país é um caldeirão de misturas e culturas. E cada pedacinho da cidade tem sua peculiaridade e seu som. Para que você tenha acesso a essa memória musical, está sendo criado o Acervo Identidades Sonoras. Considerada uma iniciativa pioneira no DF, a pesquisa pretende fazer um registro fonográfico documental sobre o patrimônio imaterial de Brasília e conscientizar a população sobre o universo auditivo e seus desdobramentos na esfera social, cultural e ecológica. Como produto final, o projeto vai elaborar e manter acervo digital num site de forma pública e gratuita.

O projeto, financiado pelo GDF, através da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, por meio do Fundo de Apoio à Cultura FAC-DF, é uma iniciativa dos pesquisadores Gustavo Elias e Kamai Freire, sob orientação do professor Doutor do Departamento de Música da UnB, Flávio Santos Pereira, da produtora cultural Mitema Projetos Culturais & Soluções Sustentáveis e da Associação ADMIM.

No site http://www.identidadessonoras.org, você poderá ouvir uma variedade de gravações como cantoria de viola, romaria de carros-de-boi, folia de reis, oficina de pife, xirê de candomblé, batalha de rap, canto de sapos em beira de água, coro matutino de aves e tantos outros sons entoados em regiões do DF e entorno. Foram mais de cem horas de gravação. No entanto, haverá etapas para a disponibilização disso para a população.

O Acervo Identidades Sonoras será inaugurado, em uma primeira fase, no dia 8 de setembro de 2017. A ideia é trazer a público reflexões sobre as identidades sonoras e o patrimônio imaterial, além de fortalecer meios de pesquisa acadêmica. A iniciativa já está em seu segundo ano de atividades e logo em breve terá o lançamento do Acervo Identidades Sonoras – Repentistas do DF financiado pelo FAP – Fundo de Apoio à Pesquisa do DF que já está em andamento e fará um acervo sonoro dos cantadores de viola.

Curiosidades – O foco do Acervo Identidades Sonoras é coletar áudios em alta resolução sobre a vida na cidade e entorno. Assim foram gravadas festas, cantorias, novenas e também sons de pássaros e sapos. O projeto iniciou em julho de 2016 e, a priori, será inaugurado com 18 gravações que serão disponibilizadas no site Identidades Sonoras. Foram captados sons de tradições culturais, sons urbanos e sons da natureza, na capital e arredores do DF. O público que acessar o acervo poderá ouvir áudios curtos e editados de expressões efêmeras e rituais. Para obter a versão completa, o interessado poderá logar no site e acessar as gravações dos rituais completos. Isso mediante confirmação de que aquele material não poderá ser utilizado para fins comercias, apenas para pesquisa e para fins didáticos.

ACERVO IDENTIDADES SONORAS

EQUIPE – BIOGRAFIA:

FLÁVIO SANTOS PEREIRA

Flávio Santos é compositor, Professor Doutor do Departamento de Música da UnB. Graduou-se em Composição e Regência pela Universidade de Brasília, obteve o título de Mestre em Antropologia pela Universidade de Brasília e o título de Doutor em Composição Musical pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

TAIANA MARTINS

Taiana Martins é produtora cultural e proprietária da Mitema Projetos Culturais & Soluções Sustentáveis que atua em Goiânia e Brasília com elaboração de projetos, produção executiva, pesquisas, indicadores socioculturais e organização de eventos.

 GUSTAVO GUIMARÃES ELIAS

Gustavo Elias é músico, pesquisador, instrumentista, compositor, graduando em composição musical pela UnB, violonista do Duo Goiás (GO) e do Satanique Samba Trio (DF).

KAMAI FREIRE

Kamai Freire é músico, pesquisador, compositor, arranjador e regente. Foi musicalizado pela Escola de Choro Raphael Rabello e é Bacharel em Composição Musical pela UnB.

Serviço: Lançamento do site Acervo Identidades Sonoras

Data: 08/09/2017

Site: http://www.identidadessonoras.org

Por Cláudia Moreira

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*